Correio de Caria

Belmonte com três casos de violência doméstica em fevereiro

A Guarda Nacional Republicana registou neste mês de fevereiro só no concelho de Belmonte três ocorrências por violência doméstica. No passado dia 18 nesta localidade um homem, com 60 anos de idade, por violência doméstica. Segundo o comunicado da GNR “depois de uma investigação que vinha a decorrer, os militares da Guarda apuraram que o suspeito exercia reiteradamente violência psicológica sobre a vítima, sua ex-companheira de 59 anos, através de ameaças com arma de fogo e ofensas verbais, perseguindo ainda a vítima, causando-lhe medo e insegurança. Após as diligências policiais, foi dado cumprimento a um mandado de detenção”.
O suspeito foi presente ao Tribunal Judicial de Covilhã, onde lhe foi aplicada a medida de coação de proibição de contacto com a vítima, por qualquer meio, controlado por pulseira eletrónica.
No dia 23 de fevereiro a GNR, através do Postos Territoriais de Belmonte e de Caria, deteve em Malpique um homem de 48 anos por violência doméstica e por posse ilegal de armas.
Segundo o comunicado enviado à imprensa, “os militares da Guarda apuraram que o suspeito exercia reiteradamente violência física e psicológica sobre a vítima, sua ex-companheira de 43 anos, através de agressões físicas, ameaças com arma de fogo e ofensas verbais, causando-lhe medo e insegurança”.
No decorrer da operação policial, os militares deram cumprimento a dois mandados de busca, uma domiciliária e uma em veículo, culminando na apreensão de duas espingardas caçadeiras sem registo ou documentação válida; Uma arma de ar comprimido; Diversas munições de diferentes calibres.
No dia 24, também em Malpique, a GNR e a Policia Judiciária, detiveram um indivíduo, por agressões à sua companheira e atentar contra a vida da mesma.
Os detidos foram constituídos arguidos, e os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial da Covilhã.

Recorde-se que a Violência Doméstica é um crime público pelo que qualquer cidadão que tenha conhecimento de uma ocorrência desta natureza tem obrigação legal de a comunicar às autoridades.
jhs

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *