Correio de Caria

“aBEIRAr”, sobre o Turismo Religioso em Caria

“aBEIRAr” é um projeto da CIMBSE – Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela que numa rede de parceria entre os 15 municípios que integram a CIMBSE procura “potenciar o envolvimento e a participação cívica com a ciência, promover o diálogo entre cientistas e cidadãos e despertar o interesse da comunidade na construção de conhecimento e valorização do território”.

Com um programa articulado através da rede de Bibliotecas Municipais a aBEIRAr promoveu no passado dia 19 de novembro à noite em Caria um evento subordinado ao tema: “Turismo Religioso – Científico. Uma fronteira por explorar?” através de uma viagem por diversas capelas da vila, onde se anunciava que os participantes eram guiados por uma narrativa com elementos de base religiosa e etnográfica, mas também estórias ligadas à investigação e a descobertas científicas.

Foram convidados para esta visita Gustavo Bertoche do Centro de Filosofia, Política e Cultura da Universidade da Beira Interior; o Diácono José Martins, o Grupo Coral de N. Sra. da Conceição, Mafalda Carvalho da Junta de Freguesia e Filipe Alves da Irmandade de Santa Bebiana e ainda o professor António Borges que apesar de não estar anunciado no programa deu um valioso contributo.

O primeiro momento de reflexão e com algum debate, aconteceu na Igreja Paroquial de Caria, com uma abordagem sobre a origem desta edificação, relacionada com o povoamento desta vila e os seus registos: O Diácono José Martins, fez uma alusão ao património religioso como uma marca da religiosidade das populações, embora a prática do exercício religioso, hoje seja menor, as pessoas continuam a ser católicas mas “estão menos viradas para Deus” e para a prática dos rituais religiosos; Houve ali depois um pequeno momento de debate sobre o património religioso de Caria;  O professor catedrático Gustavo Bertoche fez uma exposição sobre a relação da ciência com a religião, na sua evolução através da filosofia, passando por Platão, Arquimedes. Ptolomeu e Copérnico; O professor António Borges referiu alguns aspetos sobre as origens de Caria, com base no estudo que tem vindo a desenvolver.

O Grupo Coral de Nª. Sr.ª da Conceição fez um breve e interessante apontamento de cânticos religiosos,

Teve lugar depois uma visita à capela de Santo António, com referência às sua origens e funções ao logo dos tempos.

A visita culminou na Casa da Torre, onde perante a imagem da Santa Bebiana, Mafalda Carvalho e Filipe Alves referiram a tradição desta festa pagã em Caria.

Para concluir e fazer também honras à Santa, a Quinta dos Termos agraciou os visitantes com uma prova de vinhos das melhores produtos da sua prestigiada adega.

Manifestação comum a quase todos os convidados foi de serem contatados muito em cima da hora e não saberem muito bem ao que vinham… Em conversa com a técnica da CIMBSE, responsável pelo projeto aBEIRAr, o Correio de Caria constatou que a presente iniciativa decorre com atividades em todos os 15 Municípios da CIMBSE,  com o vetor comum de aliar a ciência a tradições ou a costumes locais, neste contexto “a Ciência, inovação, cidadãos e território, são as palavras chave da iniciativa”, cuja segunda edição começou neste dia 19 de novembro com a Biblioteca de Belmonte, direcionada para Caria. Trata-se de um ciclo de eventos que decorrerá ao longo de quinze fins de semana.

Cada um dos eventos pretende ter em comum o objetivo de promover o território enquanto laboratório vivo, através do cruzamento de saberes – tradicional, empírico, científico, académico, ao mesmo tempo que pretende dar a conhecer a investigação e a inovação que está a acontecer no território, explorando novas fronteiras de colaboração entre a ciência e os cidadãos. Pretende-se que cada evento tenha uma identidade própria enraizada no conhecimento, no património e na cultura local, refere a sinopse do projeto.

No próximo dia 26 de novembro, a Biblioteca Municipal da Covilhã recebe o projeto “aBEIRAr”, que se desenvolve em torno da tradição do chá na Covilhã. No programa destaca-se:

– 09H30 – NA ROTA DO CHÁ (caminhada 7 kms)

Local: Memória da Expedição da Sociedade de Geografia à Serra da Estrela,

Penhas da Saúde.

– 16H00 – “DO ALTO DA SERRA PARA O BULE DE CHÁ” (conversa informal,

exposição, degustação de chás)

Local: Biblioteca Municipal da Covilhã

– 16H00 – “CHÁ EM FAMÍLIA” (oficinas de ciência e de criatividade para

famílias). Também na Biblioteca Municipal da Covilhã

São convidados: Agostinho Ferreira, EPA Quinta da Lageosa; Ana Paula Duarte, Universidade da Beira Interior – UBI; Fátima Vaz, costumes e tradições; Piedade Simão Ferreira, costumes e tradições; Paulo Andrade, Caminheiros Rosa Negra; Sara Boléo, Guardiões da Serra da Estrela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *