Correio de Caria

Notícias dos Três Povos Casa do Pastor nos Três Povos

A freguesia dos Três Povos, vai em breve ter um novo Espaço Expositivo no Museu da Pastoricia, no Salgueiro. As obras já foram adjudicadas pelo Município do Fundão e em breve este espaço contará com vários paineis como: – Um Primeiro Painel, onde um breve texto introdutório receberá os visitantes, dando a conhecer os objetivos da Casa do Pastor e a importância da cultura pastoril nos Três Povos; Um Painel focado no território numa perspetiva do ecossistema onde se insere a prática da pastorícia desta comunidade agro-pastoril, destacando aspetos da fauna, da flora e das condições ambientais, assim como breves apontamentos históricos; Painel com conteúdo gráfico e exposição de chocalhos cuja instalação pretende emular um dos sons mais característicos do universo pastoril; Seguese uma fotografia de grandes dimensões, onde se mostra o pastor no pasto, junto a uma choça, acompanhado do rebanho e dos cães. Estes conteúdos serão complementados com dois painéis com informação diversa sobre a pastorícia, nomeadamente: – A organização do ano pastoril (cruzamento entre o calendário agrícola, pastoril e religioso; o dia de S. Pedro; as especificidades de cada estação – cobrições, partos, ordenha, …; os contratos e pagamentos); – A morfologia da choça e do redil; – A marcação do gado, as práticas curativas e veterinárias, as superstições; – A utilização do gado: leite, lã, carne, pele e estrume; – A família do pastor, as funções da mulher e dos filhos; – O cão de virar o gado e o cão de guardar o gado. Encontra-se-à depois um Painel com conteúdo gráfico e exposição de chavelhas, salientando a arte pastoril feita em diversos materiais, nomeadamente madeira, cortiça e osso. É um dos mais antigos modos de fechar as coleiras do gado, que atualmente têm vindo a ser substituídas pelas fivelas metálicas. O espaço terá ainda uma área temática sobre o ciclo do leite, documentando o processo desde a ordenha até a elaboração (e maturação) do queijo, da travia e do requeijão. Onde se explicam os diferentes passos e utensílios utilizados, com apoio no audiovisual. Mencionandose também o uso do “bucho de mamão”, tradicional nesta zona, para coalhar o leite e da diferenciação entre o queijo à ovelheira e o queijo à cabreira. A finalizar, um painel sobre a tosquia manual, com conteúdo gráfico, exposição de objetos e audiovisual, onde se abordam as práticas, os rituais e a gastronomia associada à tosquia. Destacar-se-á também o papel do manageiro, as características das tesouras de tosquia. A concluir este espaço expositivo, o visitante despede-se através do painel sobre o léxico pastoril, onde se apresentam as definições de términos próprios da cultura pastoril e de ditos tradicionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *