Correio de Caria

Penamacor Vila Madeiro

Depois de no ano passado ter sido apresentado apenas em formato online, devido à pandemia de COVID-19, o Vila Madeiro regressa, este ano, com atividade presencial, nos dias 7, 8, 11, 12, 18, 19, 23, 24 e 25 de dezembro,

A sessão inaugural tem lugar nesta terça-feira dia 7 de desembro pelas 15h30m, no Museu Municipal, ao mesmo tempo que é inaugurada a exposição “Madeiro – Património e Identidade”, seguida de um momento musical e de poesia, por Pedro Domingues e Cristiana Pereira.

Pelas 16:00, no Auditório da Escola de Música, terá lugar a apresentação,do livro “Carlota e Francisco Pinza Ferras – A Vida, o Sonho, a Obra”, da autoria de Maria João Cunha e com edição do Instituto Social Cristão Pina Ferraz, em colaboração com o Município de Penamacor.

A partir das 21:00, o Recinto de Nossa Senhora do Incenso recebe os concertos da Encantatuna e de Augusto Canário & Amigos.

No dia 8 (feriado), às 11:00 tem lugar uma Visita Guiada e Encenada ao Convento de Santo António, e, às 21:00, o Teatro Comunitário “Da água se fez lenda”. Porém o momento alto do dia vai para o tradicional Desfile do Madeiro às 14h, ocasião em que regressam à vila os tratores carregados de lenha para o soberbo Madeiro de Penamacor.

No dia 11, tem lugar um Passeio Pedestre e Plantação de Árvores Autóctones, pelas 10.30 e às 18:00, acontece o já habitual Encontro de Cantares ao Menino, no Convento de Santo António, que conta, nesta ano, com a participação da Casa do Pessoal dos Hospitais da Universidade de Coimbra e com o Grupo Modas Antigas. Pelas 21:00, atuam os Band & Tarola, com um concerto na Praça Vila Madeiro.

Dia 12, será a apresentação do livro de Francisco Abreu “Poesia Popular da Raia Beirã”, no Auditório da Escola de Música, e pela noite o concerto da banda espanhola de rock de natal Indy Tumbita & The Jingle Bells, na Praça Vila Madeiro.

A apoteose do certame e desta tradição acontece, tem lugar na ante-vespera de natal, na noite de 23 para 24 com o acender da fogueira.

Durante o periodo dos festejos tem lugar ainda, animação de rua, Mercado de Natal e espaço infantil.

O Madeiro

O Madeiro de Penamacor ganhou fama de ser o maior do país. Todos os anos, com o aproximar do Natal, por todas as freguesias do concelho, os jovens em idade de cumprir o serviço militar unem-se para cortar e transportar os troncos que alimentarão a fogueira para aquecer o Menino Jesus. O grande monte de madeira, depositado no adro da igreja, é ateado normalmente ao cair da noite do dia 24, com exceção de Penamacor, que arde de 23 para 24, e mantém-se aceso durante vários dias. Depois da ceia de Natal, a população reúne-se em redor da fogueira, num gesto ritual de fraterno encontro.

Em Penamacor, a chegada do Madeiro tem data marcada e o ato assume foros de festividade. De facto, no dia 8 de dezembro, a população acorre generosamente à rua para saudar o cortejo de tratores e reboques, em número que procura sempre bater o antecedente, onde os jovens do ano, dantes só os rapazes e agora também as raparigas, empoleirados nos troncos, atiram à rebatina os frutos do ramo de laranjeira que a praxe manda trazer, cantando acompanhados à concertina. (fonte CMP)

jhs

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *