Correio de Caria

Festival de Teatro da Covilhã, até 3 de outubro

Está a decorrer de 24 de setembro a 3 de outubro, a 38ª Edição do Festival de Teatro da Covilhã, organizado pelo Teatro das Beiras.

O certame foi sujeito a uma reprogramação, devido aos constrangimentos da pandemia, assim como a data do festival onde a paragem da atividade durante dois meses levou a que o evento decorra, este ano no mês de setembro. Porém e segundo salientou Fernando Sena na conferência de imprensa de apresentação do festival, “há várias alterações mas mantém-se a qualidade”.

Outra das alterações provocada também pela pandemia, está relacionada com os espetáculos para a infância e juventude que “não terão duas sessões, mas uma única às 18:30”. Uma vez que os alunos não vão poder sair da escola e por isso, como medida alternativa passaram esses espetáculos para as 18:30, para que os pais possam levar os filhos ao teatro.

Na programação o destaque vai para duas companhias que pela primeira vez vêm ao festival: o Teatro da Rainha e o Krisalida Teatro, bem como para duas companhias espanholas que vêm à Covilhã no âmbito do “circuito ibérico de teatro”.

A lotação da sala também foi reduzida para metade, ficando cada sessão limitada a 45 espetadores, por efeito das normas de distanciamento impostas pela pandemia.

O festival arrancou no dia 24, às 21:30, com a peça “Discurso sobre o filho-da-puta”, de Alberto Pimenta, pelo Teatro da Rainha.

No dia 25, à mesma hora, sobui ao palco a peça “Armazenados”, de David Desola, pelo Teatro Art’Imagem.

No dia 26 apresentou-se o espetáculo “Libro de buen amor”, clássico da literatura espanhola do século XIV, do Teatro Guirigai.

“El licenciado Vidriera”, da Karlik Danza Teatro, inspirado em Cervantes, está agendado para dia 02 de outubro, às 21:30.

A encerra o festival, no dia 03 de outubro será a apresentação, da peça de “Una donna sola”, do Nobel da Literatura Dario Fo, com Franca Rame, do Teatro das Beiras.

Os espetáculos dedicados à infância começam no dia 28, às 18:30, com o Krisalida Teatro e a peça “Plastikus”. No dia 29, à mesma hora, o Teatro do Noroeste leva à cena a peça “O Gato Malhado e a Andorinha Cinha”, inspirada no texto de Jorge Amado. No dia 30 é a vez do Teatro do Montemuro, que apresenta “Germinação”, sobre texto de Abel Neves.

A organização recomenda que os bilhetes devem ser reservados previamente, sendo que o preço do bilhete geral para os cinco espetáculos da noite é de 25 euros e o individual seis euros. O bilhete para crianças no espetáculo família custa dois euros.

O bilhete famílias custa 20 euros e inclui bilhete de adulto mais bilhete de criança para três dias. havendo ainda desconto de 50% para maiores de 65 anos, jovens até aos 25 anos e sócios do Teatro das Beiras e Casa do Pessoal do Centro Hospitalar Universitário da Cova da Beira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *